A Mulher da Terra

“Sou a Mulher da Terra, cavalgo o dragão que vive no fundo. O que vês em minha superfície não passa de um aspecto de mim mesma. Faço.me crer pobre e dura, cruel e diante, possessiva e voraz, mas aos que se entregam a mim sem reservas, com todo o amor, dou meu leite fluídico mesclado de raios lunares e solares. Respira-me quando exalo meu fôlego, pois ele é habitado por forças de um poder inimaginável.

Concedo inspiração, ciência e oráculos, pois sou impregnada de eflúvios vibratórios dos planetas e das estrelas e a água é o meu melhor meio. Nela se inscreve o devir celeste. Mas o homem não me honra mais. Ele me corrói, ele me saqueia, ele me esbulha, ele se tornou meu parasita. Com ele, já não posso me comunicar como fazia antes. No entanto, seu papel é o de me purificar, o que faz sem o saber neste momento, pois livra-me de meu excesso de metal e de minhas águas mortas, que ele queima. Mas ele não exorcizou o que tirou de mim, e libertou os demônios da matéria que eu guardava em meu ventre. São eles que presidem a nova destruição. Cada vez mais encarnam-se em formas humanas. Cada vez mais vou entrar num período de convulsões, pois a raça branca, raça do metal, deve, por sua vez, desaparecer. O amanhã verá outras mutações à beira das quais estás sem que o saibas.

Ela também me dá um cântico que é preciso entoar interiormente para fazer ´acender seu sangue´ e viver mais tempo. Ela me confia um de seus nomes secretos e me mostra centros de energia feitos de fixação e da concreção dos fluidos do espaço. Esses centros de energia se apresentam ao meu mental humano sob a forma de palácio, de bacias, de taças que captam a espiritualidade das estrelas: o Graal é um desses centros.

Fala-me ainda de um invisível leite de luz, bebida dos Deuses, feita da consciência fluida da Terra, dos Planetas, da Lua, do Sol e das Estrelas. Esse leite pode ser encontrado nos arcanos secretos de nossa imaginação, pois esta, muito mais conhecida dos homens e extraviada, é a suprema força. Bem canalizada e bem empregada, ela nos permite tomar a dimensão da Grande Divindade. Que importa, então o despojo exterior se descobrimos que somos imortais? É lá, bem no fundo do ser que reside a chave da Grande Potência. Mas chegará a seu algum dia verdadeiramente mágica?”

“Deusa da Terra, tu, que és poder e luz, tormentas e festas; tu que encerras em teu seio o fermento da vida, faze que te possa amar por longo tempo, cantar-te e fecundar-te com minhas ideias, assim como me amas, cantas e fecundas.

Rainha dos Sagrado Reinos do Espírito e do meu coração; tu, cujas antenas são árvores, cujos olhos são flores, ouvidos-cavernas, bocas-abismos e turbilhões de água, dá-me o poder de entender-te e compreender-te, a fim de que eu possa em toda parte difundir tua força e tua luz e possa falar de ti – e por ti – às Potestades celestes. Faz com que eu saiba receber-te para que possa, como tu, dar e criar. Faz com que eu seja assim como tu és, para que possa renascer sem passado em cada um de meus dias, como Alegria, como Beleza e como Luz”.

Livro: Iniciação ao Xamanismo e à Magia Natural (A Natureza e o Sagrado)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s